YouTube, Instagram e Snapchat são as redes sociais mais usadas por jovens nos EUA; Facebook fica em quarto lugar

De acordo com o estudo, esta mudança no uso das mídias sociais é apenas um exemplo de como o cenário tecnológico evoluiu para os jovens desde o último levantamento, realizado entre 2014 e 2015

0
Foto: Getty Images

YouTube, Instagram e Snapchat são as redes sociais mais usadas por jovens nos Estados Unidos. É o que diz a pesquisa realizada pelo Pew Research Center, que também revela que o Facebook perdeu usuários para as outras plataformas nos últimos três anos. Hoje, cerca da metade dos adolescentes americanos (51%) usam a rede social de Mark Zuckerberg, um número consideravelmente menor do que o divulgado em 2015 (71%).

De acordo com o estudo, esta mudança no uso das mídias sociais é apenas um exemplo de como o cenário tecnológico evoluiu para os jovens desde o último levantamento, realizado entre 2014 e 2015. A pesquisa também evidencia o notável crescimento do uso de smartphones pelos adolescentes: 95% deles afirmam ter um celular ou, ao menos, ter acesso a um.

Facebook perdeu 20 pontos percentuais nos últimos anos e agora se encontra em quarto lugar na lista das redes sociais mais acessadas por adolescentes americanos com idades entre 13 e 17 anos. (Fonte: Pew Research Center)

O estudo também revela que não há consenso entre os adolescentes sobre os efeitos que as mídias sociais têm sobre a vida deles. 31% dos jovens dizem que os efeitos são – na maior parte das vezes – positivos, enquanto 24% acreditam que são majoritariamente negativos. 45% afirmaram que esses efeitos não são nem positivos nem negativos.

Este não é o primeiro estudo que indica a debandada de adolescentes do Facebook

O jornal The Guardian lembra que este não é o primeiro estudo que indica a debandada de adolescentes do Facebook. Em fevereiro deste ano, uma pesquisa da eMarketer estimou que a base de usuários da rede social entre os americanos com idades de 13 a 17 anos declinou 9,9% em 2017, um número três vezes maior do que o previsto pelo próprio Facebook em agosto do ano passado.

Gráfico feito pelo Poder360 compara a pesquisa recente do Pew Research Center com o estudo anterior. (Fontes: Poder360 e Pew Research Center)

Paul Verna, analista da eMarketer, explicou que as suas próprias filhas – de 17 e 14 anos de idade – são um exemplo perfeito. “Quando a de 17 anos fez 13, ter uma conta no Facebook era um rito de passagem. Não muito tempo depois, percebeu que não usava mais a plataforma. Quando a mais nova completou 13 anos, nem sequer pediu para ter uma conta no Facebook. Só queria saber do Instagram, o que ainda hoje acontece”, disse.

LEIA MAIS: Após escândalo, Facebook anuncia ferramenta para limpar dados de navegação

Na opinião de Verna, esta mudança demográfica é uma “ameaça maior” para o Facebook do que as preocupações com a privacidade após o escândalo da Cambridge Analytics.

Fonte: Pew Research Center

Apesar do destaque à grande queda no número de adolescentes que usam o Facebook, a pesquisa do Pew Research Center também mostra que o uso da rede social de Mark Zuckerberg é maior entre os jovens que possuem uma renda familiar menor. 70% dos adolescentes com renda familiar inferior a US$30 mil dólares usam a plataforma.

 

Fontes: Pew Research Center, The Guardian, Poder360 e Diário de Notícias