Provavelmente você já deve ter se questionado sobre quanto o Felipe Neto ganha. Aliás, todos nós temos essa curiosidade em saber o faturamento mensal dos youtubers. Muitos recorrem ao SocialBlade, mas o site não traz estatísticas minuciosas acerca da monetização de um canal e sempre utiliza um grande intervalo quando se trata deste assunto. A título de exemplo, o portal mostra que Felipe Neto ganha entre US$ 58 mil e US$ 927 mil por mês. Uma grande diferença, não é mesmo?

Vale ressaltar que os ganhos mensais de um influenciador sempre estão mais próximos do menor valor do intervalo fornecido pelo SocialBlade. No caso de Felipe Neto, isso significa que o seu faturamento é mais próximo de US$ 58 mil do que de US$ 927 mil.

O SocialBlade estima que os ganhos anuais de Felipe Neto variam de US$ 695 mil a US$ 11 milhões. (Fonte: SocialBlade)

É difícil um youtuber contar quanto ganha, mas Felipe Neto surpreendeu a todos e publicou um vídeo na semana passada revelando qual foi o seu faturamento no último mês. O influenciador disse que seu canal rendeu US$ 687 a cada um milhão de visualizações. Em junho, Felipe fez 212 milhões de views. Agora basta multiplicar 687 por 212 para chegar ao incrível resultado: US$ 145,6 mil. Tudo isso em apenas trinta dias.

Se considerarmos a cotação do dólar do dia em que o vídeo de Felipe Neto foi gravado (US$ 1 = R$ 3,87), o dinheiro que ele ganhou é equivalente a R$ 563 mil, também conhecido como meio milhão de reais.

O carioca reitera que junho foi mês de Copa do Mundo e por isso os ganhos foram um pouco maiores se comparados a meses normais. Mas já é possível ter uma ideia de quanto Felipe fatura mensalmente: em média R$ 500 mil.

Dá para viver de YouTube?

É importante salientar que um youtuber não vive apenas de Google AdSense. Felipe Neto deve ganhar bem mais que US$ 145 mil com a venda de seus produtos e divulgando marcas em suas redes sociais e no próprio YouTube, além da participação em eventos.

Ao comentar um vídeo do canal WebTVBrasileira, o criador de conteúdo disse que é possível viver da plataforma de vídeos. “Dá e muito para viver de YouTube. É claro que, se você prefere lançar um vídeo por mês…um vídeo a cada quarenta dias, aí você realmente não vai viver de YouTube, mas aí você também não está trabalhando para o YouTube, você está trabalhando para outras fontes, você está fazendo dinheiro de alguma outra forma”, afirmou.

 

Redação Influverse