Para se manter grande no mercado, a Apple deveria comprar a Netflix, sugere JPMorgan. (Foto: Mary Altaffer / Associated Press)

A Apple não tem tido um bom desempenho nas últimas semanas. A empresa perdeu US$ 70 bilhões (aproximadamente R$ 256 bilhões) logo no início deste ano após apresentar um relatório sobre suas vendas.

Em carta para investidores, Tim Cook, CEO da Apple, informou que o iPhone não havia apresentado bons números de venda no final do ano. O empresário também disse que “forças externas” podem empurrar a Apple, mas que não irá usá-las como desculpa.

No relatório, a Apple culpou a China pelo seu mau desempenho. Lá no país oriental, a empresa americana tem perdido destaque devido a suas concorrentes diretas, como Xiaomi e Huawei.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE.

Para tentar reverter sua atual situação na China, a Apple reduziu o preço dos iPhones em US$ 50, fato que fez as vendas aumentarem 83% em apenas um mês. Mas isso pode não ter sido o suficiente.

LEIA TAMBÉM   Canadá e Estados Unidos lançam ofensiva contra Huawei

A empresa norte-americana possui US$ 130 bilhões em dinheiro líquido, além de cerca de US$ 45 bilhões em fluxo de caixa gerado por dividendos.

APROVEITE: Xiaomi Redmi Note 7 a partir de R$ 1.193,97!

A JPMorgan, líder mundial em serviços financeiros, realizou uma análise sobre quais medidas a Apple poderia adotar para se manter no topo. De acordo com o analista Samik Chatterjee, a Netflix foi considerada a melhor opção estratégica para a Apple adquirir.

O maior serviço de streaming de filmes e séries do mundo tem um valor de mercado de US$ 148,4 bilhões. A Activision e a Sonos também se encontram na lista de possíveis aquisições que a Apple poderia fazer.

No entanto, Chatterjee disse que a fusão entre Apple e Netflix é pouco provável, porque a plataforma de streaming certamente não seria vendida por um “prêmio modesto”.